Pesquisa e convenção que confirmou Brandão/Dino reforçaram otimismo na cúpula governista

 

Carlos Brandão registrou no twitter ato em que recebe de presente imagem de Nossa Senhora de Aparecida doada pelo adjunto da SAF, Sandro Montenegro

Os números da pesquisa Econométrica divulgada na semana passada (26/07), que apontou o governador Carlos Brandão (PSB) com 11 pontos à frente do segundo colocado, senador Weverton Rocha (PDT), e a megaconvenção que consolidou a coligação majoritária “O Maranhão não pode parar”, com seus desdobramentos políticos, injetaram uma nova e poderosa dose de otimismo no comando da aliança liderada pelo governador, que busca a reeleição, e pelo ex-governador Flávio Dino (PSB), candidato ao Senado. “É um otimismo com os pés no chão”, disse ontem um dos líderes do grupo, avaliando que a confirmação das candidaturas majoritárias e a montagem das chapas de candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal, todos mobilizados em torno da candidatura do ex-presidente Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto. Ao mesmo tempo, senador Weverton Rocha festeja a movimentada convenção em que o PDT confirmou sua candidatura ao Governo do Estado, na sexta-feira (29/07), sem condições de celebrar a unidade do grupo partidário em torno de um candidato a presidente da República.

Para a cúpula governista, além da unidade partidária da coligação, a chapa encabeçada pelo governador Carlos Brandão começa, de fato, a deslanchar porque “todas as pontas estão amarradas”. Traduzindo essa amarração: a chapa tem candidato a governador e a senador unidos em torno da candidatura do líder petista Lula da Silva à presidência da República, que conta também com o suporte de todos os candidatos a deputado estadual e a deputado federal. Por essa avaliação, além da expressão política dos candidatos majoritários e proporcionais, a coligação governista conta com o argumento segundo o qual os sete anos e meio do governo comandado por Flávio Dino justificam plenamente a permanência do grupo no poder com a reeleição do governador Carlos Brandão.

Na avaliação da cúpula governista, passado o período de incerteza causado pelos 45 dias que o governador Carlos Brandão permaneceu internado em São Paulo, em momento decisivo da pré-campanha, a situação começou a ganhar novo ritmo. “Prefeitos, vereadores e lideranças do interior, que estavam inibidos pela onda de notícias falsas, começaram a se posicionar, e isso ficou demonstrado na convenção e depois dela”, acentuou a fonte governista, relatando a intensa movimentação no Palácio dos Leões ao longo da segunda-feira pós-convenção. Soma-se a esse contexto o fato de o Governo não ter sido afetado, tendo, ao contrário, continuado em intenso movimento, realizando e inaugurando obras e mantendo os serviços em pleno funcionamento. Isso foi possível, em grande medida, graças à postura do governador interino, desembargador Paulo Velten, que cuidou da normalidade institucional e permitiu que a equipe, comandada pelo secretário-chefe da Casa Civil Sebastião Madeira, com o suporte do secretário de Planejamento Luís Fernando Silva, continuasse atuando de acordo com as orientações do governador Carlos Brandão.

No campo político, as forças que formam a coligação “O Maranhão não pode parar” se mantiveram mobilizadas em grande medida pela ação do ex-governador Flávio Dino, auxiliado pelo candidato a vice-governador Felipe Camarão (PT), pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), e pelo presidente regional do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, além de líderes regionais, como o prefeito de Caxias, Fábio Gentil (Republicanos), por exemplo. Nas contas de uma fonte governista que sabe das coisas, a chapa encabeçada por Carlos Brandão já conta com o apoio de pelo menos 130 prefeitos, número que tende a aumentar até o encerramento da campanha.

Diante desse cenário, mas com os pés firmes no chão, a cúpula governista está confiante de que o governador Carlos Brandão caminha para a reeleição. Em princípio, a expectativa é a de que o desfecho da corrida aos Leões se dará numa disputa de segundo turno, seja com o pedetista Weverton Rocha, seja com o social-cristão Lahesio Bonfim. Nesse ambiente, há uns poucos que vislumbram um desfecho já no primeiro turno. A esses, os moderados chamam a atenção para o fato de que ainda faltam exatamente 60 dias para a manifestação das urnas.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Com Gutemberg na vice, Lahesio formou chapa puro-sangue

Lahesio Bonfim anuncia Gutemberg Araújo como vice 

Não surpreendeu a escolha do vereador de São Luís Gutemberg Araújo (PSC) para vice do ex-prefeito de São Pedro dos Crentes Lahesio Bonfim (PSC), decisão anunciada durante a convenção do partido, realizada no Domingo, e que autorizou a chapa para disputar o Governo do Estado. Era pedra cantada, embora Lahesio Bonfim tenha feito alguns movimentos em outras direções. A decisão foi tomada pelo presidente regional do PSC, deputado federal Aluísio Mendes, que preferiu montar chapa puro-sangue. Gutemberg Araújo ganhou espaço quando atuou como “ponte” de Lahesio Bonfim com porta-vozes da sociedade civil em São Luís. Também por pressão do chefe regional, que segue a orientação ação do Palácio do Planalto, o PSC declarou apoio à candidatura do senador Roberto Rocha (PTB). Lahesio Bonfim não engole o fato de ter de apoiar Roberto Rocha, que está alinhado à candidatura do pedetista Weverton Rocha, que é hoje o seu principal adversário na corrida aos Leões.

 

Ataques de Weverton a Lahesio podem ser faca de dois gumes

Apoiadores do senador Weverton Rocha estão dando a medida da disputa que ele está travando com Lahesio Bonfim por vaga num eventual segundo turno. Alarmados pela aproximação do ex-prefeito de São Pedro dos Crentes do senador pedetista, ameaçando seriamente tomar sua posição, eles começaram a disparar chumbo grosso contra o candidato do PSC. Inicialmente, tentaram criar-lhe embaraços com a denúncia de que ele estaria fretando “jatinhos” para viajar pelos municípios, quando dias atrás reclamava que não tinha dinheiro levar sua campanha ao interior. Depois andaram levantando dúvidas sobre a lista de bens que ele encaminhou ao TRE. E mais recentemente divulgaram um vídeo mostrando um grupo de pessoas que supostamente estariam recebendo dinheiro de Lahesio Bonfim. Quem conhece esse jogo sabe que essa estratégia é uma faca de dois gumes, que pode prejudicar o atacado, mas pode ferir também o atacante.

São Luís, 02 de Agosto de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *