Pesquisa do JP aponta dois turnos e dá recado duro a Detinha e aos candidatos de PSOL e PSTU

 

Os candidatos Detinha, Saulo Arcangeli e Franklin Douglas receberam duro recado na Pesquisa do JP

Os números da JPesquisa, publicados na edição de Domingo (26) do Jornal Pequeno mostraram o retrato do momento da guerra pela Prefeitura de São Luís. A exemplo do último levantamento do mesmo instituto, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) aparece na liderança com 40% das intenções de voto, seguido deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos) com 15%, do deputado estadual Neto Evangelista (DEM) com 9%, e do deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) com 7%. No segundo pelotão, Bira do Pindaré (PSB), Rubens Júnior (PCdoB) e Adriano Sarney (PV) estão rigorosamente empatados com 4%, enquanto o deputado estadual Yglésio Moises (PROS) e o juiz federal aposentado Carlos Madeira (Solidariedade) estão ombreados com 3%, ficando o radialista Jeisael Marx (Rede) com 2%. O terceiro, formado pelos candidatos ignorados pelos entrevistados: a deputada estadual Detinha (PL), o jornalista Franklin Douglas (PSOL) e o sindicalista Saulo Arcangeli (PSTU), simplesmente não receberam nenhuma intenção de voto. Entre os entrevistados, 6% responderam que não votariam em nenhum deles, e 3% disseram não saber ou simplesmente não responderam.

Esse retrato delineia, com bastante clareza, que, se a eleição fosse agora, o resultado remeteria a definição para um segundo turno entre Eduardo Braide e Duarte Júnior, uma parada dura e de desfecho absolutamente imprevisível. Outra informação da pesquisa o potencial de Neto Evangelista, que aparece na terceira colocação, dois pontos percentuais à frente de Wellington do Curso. E ainda o descolamento de Rubens Júnior, que saiu do pelotão de trás para se situar agora no terceiro pelotão, exibindo fôlego para apostar numa escalada que possa levá-lo ao pelotão da frente, ao contrário de Bira do Pindaré, que amarga uma tendência de queda na JPesquisa. Os números de agora sugerem que o candidato do Podemos entre em compasso de alerta, a começar pelo fato de que a soma dos percentuais dos demais candidatos é de 54 pontos percentuais, 14 a mais dos 40% que recebeu.

Outra informação trazida à tona pela JPesquisa a atenção foi Detinha, Franklin Douglas e Saulo Arcangeli serem duramente ignorados pelos entrevistados. A não pontuação da candidata do PL na pesquisa estimulada representa um duro golpe na ousada pretensão do deputado federal Josimar de Maranhãozinho de transformar a Prefeitura de São Luís na base principal do seu plano de chegar ao Governo do Estado. Há poucos dias, Josimar de Maranhãozinho fez declarações entusiasmadas a respeito do potencial de crescimento da candidatura de Detinha,   acrescentando acreditar que, “se Deus quiser”, ela será prefeita de São Luís, como foi de Centro do Guilherme. Na semana passada, a candidata do PL reclamou – com razão, diga-se -, da não inclusão do seu nome em outra pesquisa. O levantamento da JPesquisa leva à conclusão de que a inclusão do seu nome na outra pesquisa não faria muita diferença.

A pesquisa publicada pelo Jornal Pequeno trouxe um recado grave aos candidatos da esquerda radical, Saulo Arcangeli (PSTU) e Franklin Douglas (PSOL): eles não receberam nenhuma manifestação de intenção. A pancada mais forte foi no candidato do PSTU, um veterano de eleições, que já disputou a Prefeitura de São Luís, o Senado e o Governo do Estado, e pelo andar da carruagem, mostra que ele e seu partido nada aprenderam em matéria de luta pelo poder tendo as urnas como campo de batalha. O mesmo recado foi dado a Franklin Douglas e ao PSOL, com a diferença de que essa é a primeira vez que ele assume a tarefa de liderar o partido numa disputa majoritária.

Os números do JPesquisa indicam que a ciranda da disputa para a Prefeitura de São Luís está apenas iniciando os seus movimentos, que ficarão mais intensos a partir das convenções partidárias, que poderão ser realizadas no período de 31 de Agosto e 16 de Setembro.

Em Tempo: a pesquisa ouviu mil eleitores no período de 21 a 24 de Julho, tem margem de erro de 3%, para mais ou para menos, e está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-02519/2020.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

MDB “perdoa” traição e vai apoiar Assis Ramos em Imperatriz indicando Franciscano como vice

Assis Ramos 

O MDB decidiu adotar de vez o pragmatismo como base das suas articulações para as eleições municipais. O exemplo mais forte dessa postura está na posição que adotou em Imperatriz, onde decidiu relevar a traição ao partido, e indicará o empresário Franciscano como vice do prefeito Assis Ramos (DEM), candidato à reeleição. Até pouco tempo, a possibilidade de o partido compor com o prefeito era remota, principalmente incluindo a indicação do candidato a vice. E a explicação é simples: Assis Ramos elegeu-se prefeito em 2016 como candidato do MDB, com o apoio da ex-governadora Roseana Sarney e dos então senadores João Alberto e Edson Lobão. Pouco mais de um ano depois, o prefeito renegou sua origem política e rompeu com o MDB, deixou o partido e se filiou ao DEM. O rompimento tirou o MDB da sua base de apoio, ficando claro em pouco tempo que Assis Ramos cometeu um primário ao desmontar sua base e abrir mão do apoio do partido. Agora, quando se prepara para tentar a reeleição, Assis Ramos se dá conta de que sua situação não é boa e resolveu sinalizar uma trégua com o MDB. No comando das articulações do partido, o deputado Roberto Costa levou o MDB a fazer as pazes com o prefeito de Imperatriz e, de quebra, a indicar o vice, que será formalizado na convenção partidária de Setembro. Com o apoio do MDB, o prefeito ganha fôlego numa guerra em que está sendo bombardeado pelos ex-prefeito Ildon Marques (PP) e Sebastião Madeira (PSDB), ambos candidatos, e pelo deputado Marco Aurélio (PCdoB), que até aqui lidera as pesquisas de intenção de voto.

 

São José de Ribamar: reeleição de Eudes Sampaio pode enfrentar dificuldades

Eudes Sampaio  Julinho Matos e Jota Pinto

O comando do PTB foi alertado de que a corrida eleitoral em São José de Ribamar, que vinha sendo liderada com folga pelo prefeito Eudes Sampaio, corre o risco de sofrer alterações com a candidatura do ex-prefeito Júlio Matos, que tem o apoio dos Cutrim, e com o incremento do PDT à candidatura do ex-deputado Jota Pinto, apoiado pelo senador Weverton Rocha,  Eudes Sampaio continua liderando com folga, tem feito uma gestão de resultados, mas observadores atentos da cena pré-eleitoral da Cidade do Padroeiro disseram à Coluna que, mesmo com concorrendo no cargo e com o apoio integral do ex-prefeito Luís Fernando Silva, o prefeito caminha para ser reeleito com um pouco mais de dificuldade.

São Luís, 28 de Julho de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *