Flávio Dino assume liderança e vai à luta por Duarte Jr.; Edivaldo Jr. prefere se preservar à distância

 

Flávio Dino: liderança do grupo e apoio a Duarte Jr., Edivaldo Jr. sem envolvimento na sua própria sucessão

A participação do governador Flávio Dino (PCdoB) na disputa para a Prefeitura de São Luís pedindo votos para o candidato Duarte Jr. (Podemos) tem sido objeto de comentários a favor e contra, como também tem sido discussão o não envolvimento do prefeito Edivaldo Holanda Jr., que se acomodou na “neutralidade” do PDT. Uns concordam com o envolvimento direto e sem rodeios do governador, outros acham que ele deveria se manter distante da disputa. Em relação ao prefeito, muitos acham que ele está certo ao se preservar e não correr o risco de fazer uma escolha que lhe traga dores de cabeça no porvir. Sobre a neutralidade em São Luís, quase ninguém consegue entender.

O governador Flávio Dino está cumprindo exatamente o que anunciou ainda na fase de pré-campanha: que ficaria neutro no 1º turno e se posicionaria abertamente no 2º turno. Até agora, sua conduta tem sido irrepreensível. Chamou seus aliados e colaboradores para apoiar Duarte Jr., entrou na campanha dando declarações a favor do seu candidato e está mobilizando os meios políticos e partidários possíveis para respaldá-lo. Faz o que qualquer governador faria numa situação como essa. Afinal, Flávio Dino é um político por excelência, que não aceita meio-termo numa decisão desse nível. Sua estatura política foi forjada no confronto, com vitórias e derrotas, mas sem fugir da linha.

Em 2012, sem mandato, Flávio Dino articulou a grande base política e eleitoral que garantiu a vitória de Edivaldo Holanda Jr., então no nanico PTC, sobre João Castelo (PSDB), participando diretamente da campanha nos dois turnos. Em 2016, foi peça-chave no apoio a ao prefeito no 1º turno. E no segundo turno, quando Eduardo Braide (PMN) se agigantou e esteve próximo de virar o jogo, foi o governador Flávio Dino e seus aliados que entraram em campo e livraram o prefeito da derrota. Seu envolvimento na campanha de Duarte Jr. traduz fielmente a cabeça e a estatura política do governador do Maranhão, que até aqui não fugiu do embate nem deixou seus aliados no meio do caminho.

Enquanto o governador Flávio Dino assume sua condição de político militante, jogando todo o peso do seu prestígio a favor do candidato do seu grupo, o prefeito Edivaldo Holanda Jr. alimenta um silêncio perturbador em relação à disputa em São Luís., como se a disputa em curso não lhe dissesse respeito. É difícil entender que um político jovem, que chegou onde chegou pela força de uma frente de aliados, que se mobilizaram e foram à luta para fortalecer sua candidatura em 2016, nos dois turnos, prefira agora a comodidade da indiferença em momento eleitoral tão especial, no qual todos os envolvidos estão fazendo história.  Independentemente do motivo do seu não envolvimento, e seja qual for o desfecho dessa disputa, em algum momento do futuro o jovem e bem avaliado prefeito de São Luís será cobrado por sua atitude. Nenhuma explicação será plausível.

Nesse cenário, se Eduardo Braide for eleito, dificilmente Edivaldo Holanda Jr. escapará da suspeita da suspeita de ter contribuído para facilitar a eventual vitória do candidato do Podemos. Se der Duarte Jr., este ficará bem à vontade para dizer que nada lhe deve.

Nesse contexto de disputa e medição de forças, o governador Flávio Dino confirma sua condição de líder político que tem um lado e vai para o enfrentamento, confirmando o aprendizado que vivenciou ainda no movimento estudantil. Enquanto o prefeito Edivaldo Holanda Jr. parece inclinado a trilhar outro caminho. Tipo “costeando o alambrado”, como dizia o genial e saudoso fundador do seu partido, o ex-governador Leonel Brizola, a casos como dessa natureza.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Braide e Duarte Jr. jogam pesado e dão à disputa um clima de confronto

Eduardo Braide e Duarte Jr. abrem confronto pesado na corrida pelo voto na Capital

Quando as urnas anunciaram o resultado do 1º turno da eleição para a Prefeitura de São Luís, ficou claro que o 2º turno seria uma batalha tensa, com Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Jr. (Republicanos) se batendo fortemente, produzindo um clima de indefinição. A pesquisa do Ibope, divulgada na sexta-feira (19) e mostrando os dois a mesma casa decimal – Eduardo Braide com 49% e Duarte Júnior com 42% das intenções de voto -, atiçou mais ainda o clima, abrindo caminho para que os dois usassem parte dos seus tempos de rádio e TV num intenso jogo de ataque e contra-ataque. No primeiro programa, Duarte Júnior jogou pesado fazendo acusações a Eduardo Braide, que ontem revidou com chumbo grosso. Ambos se dizem atacados e injustiçados e tentam justificar a pancadaria alegando que foram atacados.

Não existem inocentes, anjos nem santos numa disputa eleitoral. Todos jogam com as armas que têm para desidratar o adversário. No primeiro turno, Eduardo Braide apanhou muito, mas também bateu bastante. O mesmo aconteceu com Duarte Júnior, que foi alvo de pancadas de quase todos os concorrentes, assim como distribuiu porretadas a granel. Os dois saíram das urnas ilesos e bem votados, o que significa dizer que as pancadas que receberam não tiveram efeito destruidor. Agora, os dois trocam petardos, mesmo sabendo que o desfecho da eleição será fruto da sua capacidade de convencer o eleitor dos seus projetos e intenções.

Os próximos programas dirão o que de fato os dois pensam disso tudo.

 

Osmar, Astro e Aldir estão na briga pela presidência da Câmara Municipal

Osmar Filho, Astro de Ogum e Aldir Jr. na briga pela presidência da Câmara Municipal de São Luís

Já são intensos os movimentos que visam a eleição da Mesa da Câmara Municipal. Saído das urnas de novo como o mais votado, o vereador e atual presidente Osmar Filho (PDT), que entrou de cabeça na campanha de Eduardo Braide (Podemos), vem jogando todas as suas fichas para emplacar um novo mandato. Por sua vez, o vereador reeleito Astro de Ogum (PCdoB), que já exerceu dois mandatos presidenciais, e que está na linha de frente da campanha de Duarte Jr. (Republicanos), não esconde sua pretensão de voltar à presidência da Casa. Uma terceira via está ganhando forma, o vereador reeleito Aldir Jr. (PL), alinhado à candidatura de Duarte Jr..

Quem conhece bem as entranhas do Palácio Pedro Neiva de Santana diz que se Eduardo Braide for eleito, Osmar Filho será confirmado na presidência. Mas se Duarte Jr. sair vencedor, Astro de Ogum tem condições reais de voltar ao comando da Câmara Municipal de São Luís. A eventual eleição de Duarte Jr. também facilitará o projeto de candidatura de Aldir Filho (PL), que avisou que será um candidato viável.

Esse desenho será concluído tão logo as urnas anunciem o novo prefeito de São Luís.

São Luís, 24 de Novembro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *