Eleito com votação densa, Eduardo Braide ganha musculatura e alguns desafios para comandar São Luís

 

Eduardo Braide e a esposa Graziela mostram confiança na vitória após o voto

Com 270.557 mil votos, o equivalente a 55.53% dos votos válidos, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) saiu das urnas ontem eleito prefeito de São Luís, vencendo a disputa com o deputado estadual Duarte Jr. (Republicanos), que recebeu 216.665, equivalentes a 44,47% dos votos válidos. O eleitorado ludovicense confirmou assim a tendência manifestada em dezenas de pesquisas feitas ao longo da pré-campanha e das campanhas do 1º e 2º turno, nas quais o candidato do Podemos apareceu na frente, com larga vantagem. Foi um resultado maiúsculo, incontestável, contra um adversário que cresceu e legitimou a disputa com uma votação digna. Eduardo Braide alcançou a vitória apoiado por uma frente formada por partidos e grupos de direita, centro – onde ele se situa – e esquerda, tendo os senadores Roberto Rocha (PSDB) e Weverton Rocha (PDT) como principais apoiadores. No contraponto, Duarte Jr. apoiado por partidos e grupos de direita, centro e esquerda da base liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB), tendo como apoiadores destacados o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) e a senadora Eliziane Gama (Cidadania).

Mais do que a escolha do sucessor do prefeito Edivaldo Jr. (PDT), o desfecho da corrida ao Palácio de la Ravardière rascunha o cenário político para a grande disputa de 2022, cujo objetivo maior será o Palácio dos Leões.

Com a eleição de Eduardo Braide, o governador Flávio Dino deixa de contar com um aliado forte, para ter como vizinho um adversário que dificilmente fará parte do seu projeto de poder. Primeiro porque não existe afinidades política e ideológica entre os dois, e depois, porque, aos 44 anos, Eduardo Braide pretende chegar bem mais longe, sendo a Prefeitura de São Luís a ponte por meio da qual ele pretende chegar ao Governo do Estado. Nesse sentido, o prefeito eleito também terá de administrar as diferenças que tornam frouxa e inconsistente a base partidária que lastreou a sua eleição.

Centrado e politicamente racional, Eduardo Braide sabe, mesmo ganhando musculatura política, que tem dois enormes desafios pela frente. O primeiro é cumprir, no cenário de crise desenhado para os próximos anos, os compromissos que assumiu de transformar São Luís numa cidade com um sistema de saúde sem filas e com clínicas com médicos e exames, todas as 280 escolas reformadas e com um sistema de transporte de massa eficiente. Ele tem a clareza de que todo discurso de campanha logo se revela incompatível com a realidade. E essa realidade só se mostrará por completo quando ele assumir e tiver acesso ao verdadeiro retrato fiscal do município – receita, despesa e compromissos de curto, médio e longo prazo. Correm versões diferentes sobre a situação da Prefeitura, uma dizendo que está tudo bem, outra afirmando que não é bem assim, e uma terceira prevendo que o novo prefeito receberá uma bomba de efeito retardado.

O segundo desafio será acomodar no seu projeto de gestão as forças que o apoiaram. Elas representam de cara dois projetos que visam chegar ao Palácio dos Leões em 2022, um do senador Roberto Rocha, outro do senador Weverton Rocha. Ficará com quem? Até onde se sabe, o prefeito eleito não assumiu compromisso com nenhum deles. Os dois, porém, são importantes canalizadores de recursos federais, o que torna crucial o cultivo de boas relações. E em política impera a regra da troca, e isso significa dizer que esses aliados – principalmente o PDT, que perderá o comando da Capital a partir de Janeiro -, certamente cobrarão a fatura reivindicando espaços na máquina municipal. Eduardo Braide sabe que é assim que funciona, e que para resistir ao assédio terá de ter muita força política.

A grande expectativa é sobre como será a relação do prefeito Eduardo Braide com o governador Flávio Dino, que tem se relacionado produtiva e republicanamente com o atual prefeito de São Luís. Durante a campanha, ao mesmo tempo em que fez críticas ao Governo do Estado, o candidato do Podemos disse e repetiu que vai procurar o governador em busca de parceria. Por sua vez, o governador Flávio Dino declarou em nota que está aberto “a todos os eleitos” para conversar e que está disposto a apoiar as administrações e ajudar no que estiver ao seu alcance. Flávio Dino tem mantido uma convivência republicana com prefeitos de todas as cores políticas.

Resta esperar o prefeito Eduardo Braide confirmar o que pregou na campanha e tomar a iniciativa.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Duarte Jr. surpreendeu, teve votação digna e criou lastro para eleições futuras

Junto com a esposa Karem, Duarte Jr. faz a marca do 10

O deputado estadual Duarte Jr. (Republicanos) foi um candidato à altura da corrida para a Prefeitura de São Luís: foi para a luta, formou um lastro forte e valorizou o desfecho da disputa e a eleição de Eduardo Braide. O pronunciamento das urnas de São Luís revelou ontem que o candidato do Republicanos foi além do que a maioria das pesquisas previu. No 1º turno, ele saiu das urnas com 113.430 votos (22,15%), e praticamente dobrou sua votação no 2º turno, recebendo 216.665 (44,47%) votos, 103.235 a mais, enquanto o candidato do Podemos saiu do 1º turno com 193.378 votos (37,81%) e 270.557 (55.53%) ontem, reforçando seu cacife em 70.979 votos.

O candidato do Republicanos soube capitalizar o seu potencial eleitoral. Fez uma campanha aguerrida, com os traços da sua juventude e da sua ousadia, pelos quais pagou o preço de quem se torna uma ameaça nos espaços de poder. Mesmo sob fogo cerrado de adversário, conseguiu, com seu estilo arrojado de campanha, criar uma marca política que certamente lhe servirá de identidade para eleições futuras. Teve o apoio do governador Flávio Dino e do vice-governador Carlos Brandão, mas em nenhum momento se mostrou um candidato fraco e dependente desse apoio. Ao contrário, ao invés de abusar desse apoio, foi à luta para justificá-lo. Seu adversário foi eleito com base num lastro bem maior, construído a partir da derrota de 2016, mas qualquer avaliação isenta certamente concluirá que o candidato do Republicanos saiu das urnas bem maior do que entrou.

 

Flávio Dino parabeniza os 217 prefeitos eleitos e manda recado sobre 2022

Flávio Dino votou fazendo campanha pela liberdade de do ex-presidente Lula

Apontado por muitos como perdedor nas eleições municipais, principalmente pelo resultado da disputa em São Luís, na qual apoiou o candidato Duarte Jr., o governador Flávio Dino divulgou mensagem aos 217 prefeitos e prefeitas eleitos do Maranhão, sem citar nomes. Com ar de descontração e falando com a segurança de sempre, Flávio Dino mandou três recados muito claros, dois de natureza institucional, e outro de tom político. O primeiro: não diferencia o prefeito de São Luís do de Pedro de Rosário, declarando que todos terão portas abertas no Governo, que está pronto para ouvir e ajudar no que for possível. O segundo: a chave da boa gestão está na honestidade, enfatizando que, com boas ideias, poucos recursos podem render bons resultados. E o terceiro, de teor político, ao declarar, enfaticamente, que ele “e o vice-governador Carlos Brandão, estamos à disposição para ouvir a todos”, um recado direto ao senador Weverton Rocha (PDT) de que o palácio dos Leões já fez sua escolha para 2022. Segue a íntegra da mensagem:

“Dirijo essa mensagem inicialmente a todos e todas que foram candidatos e candidatas nessas eleições. Parabéns. Vocês contribuíram para que tenhamos um país melhor. Ao colocarem seus nomes ao julgamento popular, vocês fortaleceram a base da nossa democracia. Eleições livres e periódicas.

Cumprimento especialmente os que se elegerem nas 217 cidades do Maranhão. Desejo que consigam colocar boas ideias em prática, sempre lutando pelos interesses coletivos. Todos e todas podem contar com o Governo do Maranhão. Nesses seis anos, apesar de tantas crises, já executamos milhares de obras. Ampliamos serviços públicos e marcamos presença em todas as cidades do nosso estado.

Eu, o vice-governador Carlos Brandão, secretários de Estado, presidentes de órgãos públicos, estamos à disposição para ouvir a todos, e atender no que for possível. 2021 será um ano muito difícil para o Brasil. Porém, unidos, trabalhando em convergência, podemos fazer mais. Queremos fazer parcerias, acordos convênios, para somar esforços, notadamente na temática social, que é o principal foco do nosso Governo.

Nesses dois anos que ainda temos muito trabalho à frente do Governo do Estado. Até a próxima eleição estadual, podemos fazer muito. Com honestidade, escolha de prioridades justas, o dinheiro público, mesmo que escasso, gera extraordinários resultados. Desejo sorte e sucesso aos eleitos e às eleitas.

Que tenham muita fé em Deus e vontade de servir à população”.

São Luís, 30 de Novembro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *