Candidatos ganham reforço de lideranças na campanha de rua à Prefeitura de São Luís

 

Neto Evangelista em caminhada no Anjo da Guarda acompanhado de Weverton Rocha (camiseta preta) 

Depois da fase de articulações, do primeiro debate, da corrida às entrevistas e da fase inicial da propaganda no Rádio e na TV e das carreatas, a campanha para a Prefeitura de São Luís chegou com força às ruas. Todos os candidatos, a começar pelos politicamente mais fortes, estão realizando animadas caminhadas por bairros, no contato direto com o eleitorado. Já foram para as ruas Eduardo Braide (Podemos), Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM) e Bira do Pindaré (PSB) percorrendo as reentrâncias dos bairros mais populosos, levando suas mensagens para a grande massa do eleitorado que se espalha pelas mais diversas regiões da cidade. Rubens Júnior (PCdoB) está em isolamento com Covid-19, mas sua campanha está sendo levada ao contato direto com o eleitor pelo candidato a vice, Honorato Fernandes (PT), e pelo presidente do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry. E agora, a campanha de rua ganha mais um ingrediente: a participação de líderes políticos importantes, como os senadores, deputados federais e estaduais e chefes partidários, que passam ao eleitor impressão de que esses candidatos estão bem respaldados.

Ontem, o candidato da aliança DEM-PDT-MDB-PSL, Neto Evangelista, “invadiu” o Anjo da Guarda à frente de uma caminhada que reuniu grande número de apoiadores, tendo ao lado a sua companheira de chapa, Luzimar Lopes (PDT), e ninguém menos que o senador Weverton Rocha, o presidente do PDT e principal avalista e articulador da candidatura do democrata. A senadora Eliziane Gama já participou de vários eventos de Rubens Júnior, entre eles a grande carreata por ele liderada no último Domingo, e já está programando participação em outras carreatas e passeatas. Ambos têm projetos políticos de curto, médio e longo prazo, de modo que sua participação na corrida à Prefeitura de São Luís é fundamental.

Para os candidatos, transitar pelos bairros em busca de votos tendo a companhia de um senador da República é uma atividade de campanha da maior importância. Esses movimentos têm sido decisivos nas eleições para a Prefeitura de São Luís, porque passa para os eleitores a impressão de que os candidatos terão apoio político para viabilizar seus planos, ao contrário dos que tentam emplacar um projeto de poder solitário, sem base política nem partidária, candidatos, portanto, ao fracasso, mesmo que venham a lograr êxito nas urnas. Em 2008, por exemplo, João Castelo usou as caminhadas como estratégia forte de campanha, realizando dezenas delas nas mais diferentes áreas da periferia da Capital, tendo conseguido eleger-se. Na campanha em curso, os postulantes à sucessão do prefeito Divaldo Holanda Júnior (PDT) apostam alto na campanha eletrônica, mas com a consciência de que o corpo-a-corpo tem importância decisiva nas disputas eleitorais.

Todas as avaliações indicam, por exemplo, que o senador Weverton Rocha é peça-chave no projeto eleitoral de Neto Evangelista. O senador é reconhecido como um ousado e eficiente articulador político, ao mesmo tempo em que tem “pós-graduação” em movimentos de rua. Sua experiência foi adquirida no comando da militância do PDT, que o acompanha desde que o líder-maior do partido, Jackson Lago, o escalou para comandar a ala jovem do partido, tarefa que abraçou de maneira ostensiva e por meio da qual galgou todos os degraus da hierarquia pedetista. Weverton Rocha participou de todas as campanhas eleitorais de, tendo obtido bons resultados em todas.

A mesma posição tem a senadora Eliziane Gama, que se consolidou política atuando nos movimentos de rua na Capital, primeiro como militante nas fileiras do PT, tendo migrado depois para o PPS, que se tornou Cidadania, onde ocupou espaço, participando do processo que que a levou à Assembleia Legislativa, à Câmara Federal e agora ao Senado. Experiente nas ações políticas de rua em São Luís, a senadora deve se integrar mais fortemente à campanha do candidato do PCdoB.

A participação desses líderes na campanha de rua poderá ser o diferencial da corrida à Prefeitura de São Luís, com desdobramentos favoráveis aos candidatos e a eles próprios.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Fora da mídia eletrônica, Jeisael Marx, Hertz Dias e Sílvio Antônio ficam sem chance na disputa

Jeisael Marx, Hertz Dias e Sílvio Antônio: sem espaço na mídia eletrônica e praticamente fora da disputa

A não participação na campanha no Rádio e na TV, por conta da fragilidade dos seus partidos, selou os destinos dos candidatos Jeisael Marx (Rede), Hertz Dias (PSTU) e Sílvio Antônio (PRTB) na corrida à Prefeitura de São Luís. Só com campanha de rua eles não têm qualquer chance de reagir e atrair apoio eleitoral para, pelo menos, justificar a continuidade das suas ações nos próximos 30 dias. Mas, ao contrário do que mostra a realidade e sugere a lógica, nenhum deles cruzará os braços e arquivará seu projeto de candidatura.

Jeisael Marx, sabia que as limitações do Rede Sustentabilidade não lhe dariam as condições mínimas para embalar sua campanha. Mas, com uma visão política diferenciada, que não se encaixa nas formas tradicionais de conquistar mandatos eletivos, decidiu entrar na guerra e levar seu propósito até o final, mesmo sabendo que não teria a menor chance de alcançar a linha de frente da disputa. Vai cumprir seu roteiro de campanha até último dia, produzindo um bom exemplo de consciência política e ocupando um espaço que lhe permitirá alimentar boas perspectivas no porvir.

Representantes dos extremos ideológicos, Hertz Diaz e Sílvio Antônio também irão até o final, mas saindo dom processo como entraram: sem perspectiva alguma.

 

TCE deve se manifestar sobre decisões polêmicas

TCE: decisões beneficiando fichas sujas têm causado polêmica

Até aqui, as diversas instituições envolvidas com o processo eleitoral, a começar pela Justiça Eleitoral como um todo, vêm desempenhando suas atividades e cumprindo suas responsabilidades a contento. Nesse contexto, a única que parece estar saindo dos trilhos é o Tribunal de Contas do Estado (TCE), de onde têm saído decisões polêmicas dando a fichas sujas uma aparência de limpeza. O comando da Corte de Contas precisa se pronunciar sobre os casos envolvendo os ex-prefeitos de São José de Ribamar, Júlio Matos (PL), e de São Roberto, Jerry Adriane, fichas sujas que teriam resgatado elegibilidade sem ter direito ao benefício.

São Luís, 15 de Outubro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *