Assembleia Legislativa: bom desempenho político e forte articulação devem dar novo mandato de presidente a Othelino Neto

Othelino Neto: todos os sinais apontam para novo mandato de presidente da Assembleia Legislativa

“Nós defendemos a permanência de Othelino Neto na presidência da Assembleia”. Pronunciada com todas as letras e em alto e bom som pelo deputado reeleito Zé Inácio (PT), a declaração colocou a eleição da Mesa Diretora da nova Assembleia Legislativa na cabeça da pauta das frenéticas conversas que desde a noite de Domingo (7) estão sacudindo os bastidores do Poder Legislativo devido à movimentação dos eleitos e reeleitos. A iniciativa de Zé Inácio, que usou o pronome “Nós”, é um indicador claro de que essa posição é compartilhada pela maioria da bancada governista, que deixará o grande embate pelo comando da Casa para fevereiro de 2021, de olho na corrida sucessória de 2022, quando o governador Flávio Dino deve deixar o cargo para concorrer ao Senado. Quando então, ele deverá passar o comando do Estado ao vice-governador Carlos Brandão, o que turbinará o cargo de presidente do Poder Legislativo, já que ele terá também a prerrogativa de ser vice-governador. Nesse contexto, o deputado Othelino Neto,  o quinto mais votação, vem exercendo o comando da Casa com habilidade política e eficiência gerencial, motivando assim manifestações como a do deputado reeleito Zé Inácio.

A tendência evidente no sentido de que o deputado Othelino Neto seja eleito para comandar a Casa no primeiro biênio da próxima legislatura é perfeitamente explicada pelo cenário produzido pelas urnas. Ele saiu da corrida eleitoral como um dos grandes vencedores, com papel relevante na formação da bancada governista, que será composta por mais de 30 dos 42 deputados. O presidente substituiu a um líder forte, o deputado  Humberto  Coutinho (PDT), gerando a expectativa de que seria abafado por comparações. Só que em pouco tempo o substituto se impôs de tal maneira que ganhou personalidade e ocupou plenamente o espaço presidencial, atuando como um político maduro, com os pés no chão, equilibrado e sem se deixar seduzir pela tentação dos excessos.

O “exército” governista que movimentará a Assembleia Legislativa tem nomes credenciados para presidir a Casa, como o ex-presidente Marcelo Tavares (PSB), que está de volta; o deputado Marco Aurélio (PCdoB), com forte liderança no Sul; o oposicionista Arnaldo Melo (MDB), ex-presidente que retorna à Casa, bem como Cleide Coutinho (PDT), líder entre os mais votados. Nenhum deles reúne as condições do presidente Othelino Neto, cujo cacife começa pelo aval já sinalizado pelo governador Flávio Dino.

Todos os sinais emitidos pelo Palácio dos Leões indicam que a bancada governista receberá orientação para garantir novo mandato ao presidente. Antes disso, com habilidade no jogo dos bastidores, onde já revelou boa capacidade de articulação, o presidente conversa com apoiadores e se movimenta para atrair apoio, inclusive no grupo que deverá ser definido como a bancada da Oposição. Difícil, portanto, mudar a tendência que o tem como referência.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Edison Lobão reconhece o resultado das urnas e agradece ao povo pela trajetória

Edison Lobão divulga nota agradecendo o povo pelos mandatos que lhe deu

O senador Edison Lobão (MDB) divulgou ontem nota endereçada ao povo maranhense para agradecer-lhe pelos 40 anos de vida pública durante os quais atuou como detentor de mandato popular – dois de deputado  federal, quatro de senador e um de governador, em meio aos quais comandou o Ministério de Minas e Energia e presidiu o Senado. Eis a nota do senador:

Povo querido do Maranhão,

Encerrada a campanha eleitoral, venho agradecer a cada maranhense, aos brasileiros do Maranhão, os votos de confiança e esperança que recebi de cada um de vocês.

Como tenho feito repetidas vezes ao longo de minha vida pública, visitei todos os municípios e neles recebi o carinho do povo, vi de perto suas necessidades e compartilhei suas esperanças. E tínhamos plena confiança na vitória.

Lamentavelmente, não logramos a vitória esperada.

No entanto, respeito o resultado das urnas e desejo êxito aos que se elegeram.

Sairei do mandato parlamentar sem qualquer ressentimento e com a segurança de que servi ao povo do Maranhão que sempre foi a minha causa.

Agradeço por cada voto recebido, e quero dizer que continuarei na luta, como uma sentinela incansável em defesa do Maranhão e do povo maranhense.

Serei sempre fiel e grato à confiança dos que, ao longo de minha vida pública,  me fizeram duas vezes deputado, governador, quatro vezes senador da República e Ministro de Estado.

 Que Deus nos abençoe.

Muito obrigado.

A nota faz justiça ao povo maranhense, com quem manteve uma parceria produtiva ao longo dessas quatro décadas. Nesse período, Edison Lobão notabilizou-se pelo talento político, que usou para refinar sua habilidade e sua postura, marcada pela afabilidade, pela gentileza e pela civilidade e, principalmente, pela eficiência das suas ações políticas. Lobão sai da vida pública como entrou, sem trombetear vitórias nem choramingar derrota, respeitando o pronunciamento das urnas como faz um democrata, posicionado à direita liberal, mas fiel respeitador das instituições. Fez a sua parte, à sua maneira.

 

Efeito Bolsonaro: Chico Carvalho tenta brecar Maura Jorge, mas pode ser brecado por Pará Figueiredo

Maura Jorge, Chico Carvalho e Pará Figueiredo medem força em torno de Jair Bolsonaro

A ex-prefeita Maura Jorge se movimenta no segundo turno da eleição presidencial como quem está cumprindo uma delegação do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que caminha para ser o próximo presidente da República, segundo apontam as pesquisas. Mas seus movimentos estão sendo desautorizados pelo comando do PSL no Maranhão, que não está disposto a permitir que ela capitalize os 245.876 votos que recebeu nas urnas. À frente do partido está o vereador Chico Carvalho, um político que sabe jogar o xadrez do poder e não está nem um pouco inclinado a dividir o comando da legenda bolsonarista  com a ex-prefeita de Lago da Pedra, caso o candidato do seu partido seja vitorioso no dia 27. Se consegue inibir os gestos de Maura Jorge, Chico Carvalho dificilmente terá força suficiente para brecar os movimentos do deputado estadual eleito Pará Figueiredo (PSL), um jovem  que certamente ocupará espaço de peso no cenário de um eventual Governo de Jair Bolsonaro.

São Luís, 10 de Outubro de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *