André Fufuca assume hoje a presidência da Câmara Federal para viver o maior desafio da sua vida política

 

André Fufuca: momento decisivo para consolidar sua trajetória
André Fufuca: momento decisivo para consolidar sua trajetória

Se não houver algum contratempo e a agenda do presidente Michel Temer (PMDB) for cumprida à risca, com seu embarque para uma viagem de sete dias à China, com passagem em Portugal, o deputado federal maranhense André Fufuca (PP-MA) será alçado à condição de ocupante do segundo cargo mais importante na estrutura do Poder em Brasília. Aos 29 anos, completados no domingo (27), será presidente interino da Câmara Federal, já que o presidente titular, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que assumirá a presidência da República, enquanto o 1º vice-presidente da Câmara Federal, Fábio Ramalho (PMDB-MG), integra a comitiva do presidente Michel Temer. Na sua interinidade, André Fufuca terá sobre sua mesa de trabalho o desafio de comandar sessões e votações tensas, que exigirão dele firmeza, equilíbrio e diplomacia no enfrentamento às “feras” da Câmara Baixa, principalmente na votação das PECs da Reforma Política, nas quais se encontram itens explosivos, como  Distritão e o Fundo Eleitoral bilionário, além das cláusulas de barreira, entre outras.

André Fufuca sabe que ao sentar-se na cadeira principal da Mesa em sessão plenária terá colocado sobre seus ombros todo o peso de decisões que podem mudar o perfil político-partidário do País. Tem consciência também que decisões erradas e outras derrapagens, como, por exemplo, se deixar intimidar pela malandragem das “raposas” da Casa, podem resultar num fracasso retumbante, e como consequência venha ele ser marcado como o carimbo do despreparo. Terá ali o apoio de parlamentares tarimbados como o pemedebista catarinense André Perondi, vice-líder do Governo e que acha que o jovem deputado maranhense tem “lucidez e firmeza”. Mas terá também a torcida contrária de adversários como o tucano mineiro Tarcísio Delgado, que arrogantemente o vê como um deputado “despreparado” para lidar com “questões tão complexas”.

Presidir a Câmara dos Deputados nesse momento, quando ali estão tramitando várias matérias que estão dividindo o mundo político e a sociedade, pois terão impacto profundo no futuro imediato do País, como a Reforma da Previdência, por exemplo. A realidade e as circunstâncias exigem que o presidente da Casa esteja turbinado com doses extras de serenidade, paciência, tolerância e habilidade para administrar os conflitos que ali são visíveis e se mostram a cada discurso e votação. Tais recursos e talentos estão sendo vistos com frequências no presidente Rodrigo Maia em momentos de tensão que estremeceram a Câmara Baixa em tempos recentes.

Ao contrário do que muitos estão supondo, o deputado André Fufuca não é um parlamentar ingênuo largado à própria sorte numa arena política num momento em que correntes ideológicas e programáticas encontram-se em conflito aberto. Apesar da pouca idade, tem personalidade forte, sabe se posicionar em situações complicadas e conta com a retaguarda do pemedebista mato-grossense Carlos Marum, políticos hábeis assumiram de frente a defesa do presidente Michel Temer e saíram ilesos daquele embate, contando também, se precisar e quiser, com a orientação de falcões da política, como os senadores João Alberto e Edison Lobão, ambos do PMDB, e, dependendo das circunstâncias, até mesmo o ex-presidente José Sarney (PMDB). E para completar, o titular da Câmara Federal estará ali ao lado, no Palácio do Planalto, podendo ser informalmente consultado a qualquer momento. Isso sem contar com os conselhos do pai, prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Fufuca Dantas (PP), que sabe tudo a respeito de como sobreviver na política. Quem imaginar que André Fufuca vai cumprir a interinidade desarmado e sujeito a manipulações, pode estar muito enganado e correndo o risco de quebrar a cara.

Com dois anos de Câmara Federal e tendo o início do seu aprendizado no convívio raposas tarimbadas, a começar pelo próprio Eduardo Cunha, André Fufuca é hoje um político ao esmo tempo sóbrio e ousado, que sabe onde quer chegar e está aprendendo rápido o caminho das pedras. Os próximos sete dias poderão ser decisivos para os passos que ele pretende dar na consolidação da sua trajetória.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Líderes petistas tentam criar clima de festa para a visita de Lula a São Luís na próxima semana

Lula será recebido com entusiasmo pelos chefes petistas
Lula será recebido com entusiasmo pelos chefes petistas em sua visita a São Luís

O braço maranhense do PT está se mobilizando como nunca para tornar visita do ex-presidente Lula da Silva, na próxima semana, como o fato político mais importante do Maranhão nos últimos tempos. Todo tempo disponível pelo partido no rádio e na TV está sendo usado pelos novos dirigentes e outros líderes da agremiação para criticar duramente o Governo do presidente Michel Temer e anunciar a caravana de Lula como o prenúncio de retorno dele ao comando do País. O presidente do partido no estado, Lobato, o ex-presidente Raimundo Monteiro, o secretário de Mobilização Henrique Sousa e o secretário de Estado de Esportes, Márcio Jardim têm se desdobrado para galvanizar os petistas maranhenses e os simpatizantes do ex-presidente, que tem reunido milhares em atos políticos por onde passa. Ao mesmo tempo, o governador Flávio Dino (PCdoB) e seus auxiliares e colaboradores políticos mais próximos vêm trabalhando para minar as armadilhas que seus adversários têm preparado para desestabilizar o clima de otimismo e euforia gerado pela iminente visita do ex-presidente da República. A ordem no PT criar uma situação em que Lula seja recebido em São Luís como o grande líder que, apesar de todos os revezes que tem amargado, continua sendo o maior líder político do País e que está fazendo o caminho de volta para a Presidência da República.

 

Denúncias contra Sarney podem ser arquivadas por falta de consistência

José Sarney: biografia ameaçada por birra de Rodrigo Janot
José Sarney: pode ter denúncias arquivadas

Todos os sinais indicam que a denúncia feita pelo ainda procurador geral da República, Rodrigo Junot, acusando o ex-presidente José Sarney (PMDB) de tramar contra a Operação Lava Jato e tentar obstruir a ação está sendo empurrada para o brejo. De acordo com levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo, as investigações feitas até agoira frustraram as expectativas dos acusadores. A Polícia federal, por exemplo, concluiu que o teor das conversas de José Sarney com os senadores Renan Calheiros e Romero Jucá, ambos do PMDB, gravadas pelo ex-presidente da Petrus, o ex-senador cearense Sérgio Machado, não passaram de “meras conjecturas”, não sendo, portanto, suficientes para configurar crise de construção da Justiça nem caracterizam uma trama para prejudicar a Operação Lava Jato. Quanto à denúncia protocolada no Supremo Tribunal Federal por Rodrigo Janot, na semana passada, acusando o ex-presidente da República e três senadores pemedebistas de “corrupção passiva” e “lavagem de dinheiro”, foi bombardeada pelo advogado de defesa Antônio Carlos Almeida Castro como “inconsistentes” e desprovidas de provas que lhes dê sustentação. O criminalista  acredita que o Supremo não acolherá a denúncia contra José Sarney será arquivada por falta de provas. O provável destino das denúncias reforçam duas marcas da trajetória do líder político José Sarney: ele não foi pilhado em ato explícito e confirmado de corrupção, e não existe uma só acusação ou suspeita de que ele tenha usado violência para alcançar os seus objetivos.

São Luís, 28 de Agosto de 2017.

Um comentário sobre “André Fufuca assume hoje a presidência da Câmara Federal para viver o maior desafio da sua vida política

  1. Primeiramente para o Maranhão ,será um marco para a politica nacional mais um maranhense se sobressaindo num período de mudanças e reformas . Para o deputado André,será uma oportunidade de demonstrar sua capacidade e limpar a péssima imagem deixada pelo deputado Valdir Maranhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *