Pesquisas reforçam a tendência de dois turnos na eleição para a Prefeitura de São Luís

 

Eduardo Braide lidera, mas pode ter de encarar um segundo turno com Duarte Júnior, Neto Evangelista ou Rubens Júnior

À medida que as campanhas avançam na reta final, a corrida para a Prefeitura de São Luís vai ganhando contornos mais precisos, conforme têm apontado as pesquisas mais recentes, como a do Ibope/TV Mirante, divulgada no final da semana passada, e a Interpreta/TV Guará, que chegou ao conhecimento público no meio desta semana, e agora a DataIlha/TV Band, que desembarcou ontem no circuito onde se movimentam os candidatos, informando um novo painel de preferências do eleitorado ludovicense. Os números são os seguintes: Eduardo Braide (Podemos) lidera com 38,1% das intenções de voto, seguido de Duarte Júnior (Republicanos) com 16%, Neto Evangelista (DEM) com 13,1%, e Rubens Júnior (PCdoB) com 10,1%. Num segundo plano aparecem Bira do Pindaré (PSB) com 3,1%, Jeisael (Rede) com 3%, Yglésio Moyses (PROS) com 1,7%, Sílvio Antônio (PRTB) com 0,6%, Franklin Douglas (PSOL) com 0,6% e Hertz Dias (PSTU) com 0,2%. Um contingente de 5,2% votaria em branco ou anulariam o voto, e 8,4% disseram não saber em quem votar ou não quiseram responder. A pesquisa foi realizada no período de 20 e 22, ouviu 1080 eleitores em 44 bairros da Capital, tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, e está registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-05705/2020.

Como as outras pesquisas recentes, o levantamento do DataIlha/TV Band indica a tendência de dois turnos. A julgar pelo que sinalizam as margens de erro, Eduardo Braide está amarrado no patamar dos 40%, podendo ter um pouco mais ou um pouco menos, mas sem conseguir romper essa barreira para ultrapassar a fronteira que poderia levá-lo a uma eleição em turno único. Na pesquisa, somente a soma dos percentuais de Duarte Júnior, Neto Evangelista e Rubens Júnior é suficiente para garantir dois turnos, restando saber qual dos três será o seu adversário. E se a soma incluir os 9,2% distribuídos entre os demais candidatos, o segundo turno é mais que garantido. Além disso, os 8,4% de indecisos, que representam cerca de 50 mil eleitores, é um filão que pode, totalmente ou em parte, definir o rumo da disputa.

A conclusão mais coerente e honesta é que, a julgar pelos números das últimas pesquisas, a disputa para a Prefeitura de São Luís, mesmo com a vantagem expressiva e consistente do candidato do Podemos, está rigorosamente indefinida. Qualquer avaliação equilibrada certamente remeterá para um cenário de disputa dura, tensa e imprevisível num eventual segundo turno, ainda que as simulações sejam favoráveis a Eduardo Braide. O tempo que resta de campanha é suficiente para que os candidatos do primeiro time reforcem seus discursos, suas articulações e os seus movimentos, de modo a ampliar ou manter suas posições.

E os sinais de que a campanha está ganhando mais intensidade na reta final indicam também que a base governista vai jogar todo o peso da sua estrutura e prestígio para fortalecer o candidato do PCdoB, de modo que ele possa ser o adversário do candidato do Podemos. O mesmo está acontecendo com o suporte que embala o candidato do DEM e as forças que apoiam o candidato do Republicanos. Eduardo Braide vem mantendo sua performance com uma campanha equilibrada, abordando temas bem escolhidos, seguido por Duarte Júnior, que tem a ousadia como marca e tem mostrado que sabe se comunicar com a massa, e de Neto Evangelista, que faz uma campanha tecnicamente impecável, mas precisa dar uma guinada forte, de modo a torná-la mais agressiva. Ontem, por exemplo, numa entrevista à TV Mirante, Rubens Júnior se mostrou um candidato mais aguerrido, firme e decidido a virar o jogo, parecendo ter se dado conta de que ainda tem tempo, que o campo está aberto para quem jogar melhor nas próximas duas semanas.

Além da movimentação dos candidatos, a mobilização das forças políticas que os apoiam podem fazer a diferença no desfecho da disputa.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Ninguém sabe ao certo quem vai participar da recepção a Jair Bolsonaro em São Luís

Roberto Rocha será o cicerone de Jair Bolsonaro na visita a São Luís e Imperatriz

Pequenos grupos de bolsonaristas andaram se articulando ontem para formar uma turma para recepcionar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na visita que fará hoje a São Luís. Mas, curiosamente, conforme as fontes da Coluna, nenhum político de peso se mexeu para montar uma base de recepção ao presidente, que será ciceroneado pelo senador Roberto Rocha (PSDB), o parlamentar maranhense com mais intimidade com a família Bolsonaro. Segundo corre nos bastidores, foi Roberto Rocha quem convenceu o chefe da Nação a fazer a visita ao estado, numa articulação que durou meses. Ao mesmo tempo, é certo que nem o governador nem nenhuma autoridade do Estado integrará o grupo. Não se sabe também se o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) foi convidado.

Além de Roberto Rocha, devem integrar o comitê de recepção os deputados federais Edilázio Júnior (PSD), Aluísio Mendes (PSC), Hildo Rocha (MDB) e Pastor Gildenemyr (PL). Especulou-se que o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) poderia integrar o grupo de recepção, atendendo a apelo do seu aliado principal, o senador Roberto Rocha. Uma fonte próxima ao candidato do Podemos disse ontem à Coluna que o parlamentar não transita no Palácio do Planalto como muitos imaginam, e por isso mesmo se manterá distante da visita presidencial.

As mesmas fontes ouvidas pela Coluna especularam que o presidente Jair Bolsonaro, mesmo sabendo que conta com um punhado de apoiadores, é extremamente cauteloso em relação a São Luís, onde foi duramente castigado nas urnas em 2018. Daí sua decisão de inspecionar a duplicação da BR-135, retornar ao aeroporto e seguir para Imperatriz, onde terá uma agenda mais recheada e deverá fazer declarações políticas. Ali, ele será recepcionado pelo ex-prefeito e candidato a prefeito Sebastião madeira, o segundo nome na hierarquia do PSDB maranhense.

 

Assembleia homenageia Servidor Público; Othelino Neto defende valorização da categoria

Othelino Neto defendeu a valorização do servidor público na data da categoria

A Assembleia Legislativa prestou ontem homenagens ao Servidor Público, com a manifestação de deputados sobre o assunto durante a sessão plenária. O presidente do Poder Legislativo, deputado Othelino Neto (PCdoB), parabenizou os servidores públicos maranhense pela passagem do seu dia, afirmando      que eles são fundamentais para que os serviços prestados à sociedade sejam úteis na vida das pessoas. Para ele, que é auditor concursado do Tribunal de Contas do Estado, são válidos e necessários todos os esforços que tiverem como objetivo a valorização dos servidores públicos maranhenses.

Durante a sessão, vários deputados saudaram a passagem do Dia do Servidor. A deputada Socorro Waquim (MDB), que é servidora do Estado e já foi prefeita de Timon, disse que os servidores públicos, de âmbito municipal e estadual, formam “o grande patrimônio da administração pública”, o que faz necessária a sua constante valorização. O deputado Yglésio Moises (PROS), que é médico e servidor concursado do Município de São Luís e servidor federal concursado vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

Na mesma linha, o deputado Zé Inácio (PT) disse que, se o Maranhão tem melhorado a condição de vida do seu povo, é graças, sobretudo, à atuação dos servidores públicos. “São os servidores públicos, sobretudo os concursados, os grandes responsáveis pela implementação das políticas públicas que fazem a máquina estadual girar”, destacou. O deputado Wellington do Curso (PSDB), por sua vez, lembrou sua luta diária em defesa de todos os servidores públicos do Maranhão.

“Parabenizo todos os servidores públicos do Maranhão. Precisamos entender que o servidor estimulado produz muito mais e ele, realmente, carrega todo esse estado, carrega o município. Sinto-me orgulhosa por ter trabalhado muito ao lado de servidores estaduais e municipais, principalmente na área da saúde. É uma data, realmente, para se comemorar os ganhos”, declarou a deputada Helena Duailibe (Solidariedade).

São Luís, 28 de Outubro de 2020.

Um comentário sobre “Pesquisas reforçam a tendência de dois turnos na eleição para a Prefeitura de São Luís

  1. Eu acho engraçado tudo q Bolsonaro fala em relação a Flavio Dino é ataque, mas quando este ultimo desce a ripa em Bolsonaro aí é critica civilizada. O reporter tempo baba demais Flavio Dino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *