Lula reforça laços com Dino, afaga pré-candidatos a governador, mas prefere não interferir na escolha

 

Em cima: Lula e Flávio Dino no centro, tendo ao lado Weverton Rocha e Carlos Brandão no canteiro de obras do Hospital da Ilha. Embaixo: Lula e Flávio Dino posam com Weverton Rocha e Carlos Brandão no Palácio dos Leões

A visita política do ex-presidente Lula da Silva (PT) ao Maranhão, iniciada na tarde de Quarta-Feira e que se encerra hoje, serviu para extirpar uma série de dúvidas e pulverizar algumas especulações sobre a relação do líder petista e do próprio PT com o governador Flávio Dino (PSB) e a aliança que ele construiu e conduz no Maranhão. O líder maior do PT deixou claros o seu respeito e a sua admiração pelo governador e pelo político Flávio Dino, deu atenção equilibrada aos três pré-candidatos do seu campo político ao Palácio dos Leões – o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), o senador Weverton Rocha (PDT) e o suplente de deputado federal Simplício Araújo (SD) –, e não deu muita bola para o fato de parte do PT estar alinhada a Carlos Brandão e uma banda menor querendo marchar com Weverton Rocha. A verdade nua e crua é que o ex-presidente e favorito na corrida ao Palácio do Planalto veio ao Maranhão fincar a estaca da sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto, tendo como aliados preferenciais o governador Flávio Dino e seu grupo, esperando contar também com o apoio do MDB, comandado pela ex-governadora Roseana Sarney, e com o aval do ex-presidente José Sarney.

Os gestos e as palavras do ex-presidente mostraram, agora com mais clareza, o tamanho do governador Flávio Dino no seu conceito. Além de lhe atribuir conceito elevado, destacando o diferencial que o Governo do Maranhão no cenário nacional, Lula destacou o governador como um líder político de grande envergadura, além de reconhecê-lo como uma personalidade com sólidos padrões morais e éticos. Ao visitar ontem as obras do Hospital da Ilha, o ex-presidente expressou esse conjunto de valores: “ Flávio Dino, meus parabéns. Você não é apenas tido como o melhor governador do país, você é o melhor caráter desse país”. A manifestação do líder petista decorre do fato de que Flávio Dino joga aberto e não falseia a realidade administrativa nem faz jogo de manipulação política. Seu apoio ao ex-presidente é líquido e certo, assim como é firme a sua proposta de construção de uma grande frente partidária para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No campo político Flávio Dino fez questão de reunir em todos os eventos, a começar pelo jantar de Quarta-Feira, os três pré-candidatos a governador. Carlos Brandão, que conta com o apoio da cúpula estadual do PT, comandada pelo presidente Augusto Lobato, manteve a postura de vice-governador, sem rompantes e sem avançar o sinal para se mostrar próximo do ex-presidente. Weverton Rocha usou uma estratégia mais ousada, esforçando-se, sem exagero, para mostrar que cultiva uma relação mais intensa com o ex-presidente, de quem vem tentando obter gestos que levem o PT maranhense a se posicionar por seu projeto de poder. E Simplício Araújo, que não foi muito além e recebeu tratamento cordial do ex-presidente quando apresentado com o pré-candidato. Lula fez questão de posar com cada um deles, levantando o polegar com o sinal de positivo, e tendo o governador Flávio Dino como avalista de cada registro fotográfico.

Raposa felpuda e tarimbada como poucas, o ex-presidente Lula da Silva distribuiu gestos de simpatia, mas não bateu martelo declarando apoio a nenhum dos pré-candidatos, mas deixou no ar a possibilidade de vir a fazê-lo no momento adequado. Em relação a pré-candidatura, o ex-presidente e pré-candidato a presidente só fechou questão em relação à de Flávio Dino ao Senado. E mesmo ouvindo do governador que já está consolidando seu projeto senatorial, Lula da Silva deixou embutida nas suas falas a ideia de que o governador do Maranhão continua sendo um nome a ser levado em conta numa composição para a corrida presidencial. O governador pareceu não levar isso em conta.

Não restam dúvidas de que a incursão de Lula da Silva no maranhão nesta semana foi um evento para entrar para a crônica política do estado. Os apoiadores de Carlos Brandão dirão que o ex-presidente vai apoiá-lo, o mesmo devendo acontecer com os partidários de Weverton Rocha, que viram na cordialidade política uma declaração de apoio. Até Simplício Araújo poderá dizer que percebeu traços de simpatia do ex-presidente por sua candidatura. Mas o grande foco das atenções do ex-presidente foi o governador Flávio Dino e seu poder de fogo no Maranhão e fora dele.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Partidários de Weverton e de Brandão tentam minar o prestígio de um e de outro

A passagem dos ex-presidente Lula da Silva foi marcada por uma disputa, ora discreta, ora ostensiva, entre partidários do vice-governador Carlos Brandão e apoiadores do senador Weverton Rocha.

Honorato Fernandes declara o apoio do PT de São Luís à pré-candidatura do senador Weverton Rocha

Com o objetivo de minar o poder de fogo de Carlos Brandão, partidários de Weverton Rocha lembraram, em tom ácido, que o vice-governador estava “sem graça” ao lado do ex-presidente, afirmando que o suposto “constrangimento” seria devido ao fato de que em 2010 o então deputado federal Carlos Brandão (PSDB) acusou Lula de praticar “estelionato eleitoral” com o projeto da refinaria, que rendeu frutos eleitorais, mas não saiu do papel. Além disso, bateram na tecla de que Brandão estaria numa “saia justa” por conda da pré-candidatura do governador de São Paulo, João Doria, a presidente da República. E para completar, divulgaram na blogosfera a imagem do braço do PT de São Luís, liderado pelo ex-vereador Honorato Fernandes, declarando apoio a Weverton Rocha.

Líderes do PT com Lula, Flávio Dino e Carlos Brandão na recepção ao líder petista no aeroporto

Partidários de Carlos Brandão não deixaram por menos e acusaram Weverton Rocha de tentar fazer jogo duplo com o ex-presidente, prometendo apoiar sua candidatura, quando o partido dele, o PDT, tem um pré-candidato, Ciro Gomes, quer dispara petardos perversos contra o líder petista quase quer diariamente. Argumentam que, se Weverton Rocha está declarando apoio a Lula, está no mínimo cometendo um escorregão ético em relação ao pré-candidato do seu partido. E também em tom de “bateu, levou”, exibiram onde foi possível a imagem da cúpula do PT estadual, liderada pelo presidente Augusto Lobato, recepcionando Lula da Silva tendo ao lado ninguém menos que o vice-governador Carlos Brandão.

Como parece óbvio, aliados dos dois pré-candidatos jogaram duro para desacreditar o adversário. Mass parece que deu empate na peleja.

 

MDB sai do isolamento e vai a jantar oferecido por Dino a Lula

Socorro Waquim, Lula, Roberto Costa e Flávio Dino no Palácio dos Leões: MDB saindo do isolamento

O jantar oferecido pelo governador Flávio Dino ao ex-presidente Lula da Silva reuniu representantes da base partidária governista de centro e à esquerda, já que líderes do centro-direita e da direita não compareceram, como, aliás, já era esperado. Nesse emaranhado de tendências que se juntou no Palácio dos Leões na noite de Quarta-Feira, um grupo fora da esquerda se destacou. Eram deputados do MDB, liderados no evento pelo deputado Roberto Costa, vice-presidente estadual do partido. Junto com ele, os deputados Socorro Waquim, Arnaldo Melo, que renderam homenagem ao ex-presidente, de quem foram aliados por mais de uma década. A presença da bancada estadual do MDB no Palácio dos Leões pode ser vista como o ápice de uma bem-sucedida estratégia política concebida e levada a cabo pelo deputado Roberto Costa, e que consiste em tirar do MDB a pesada carga de partido isolado, para torná-lo uma agremiação atuante e aberta ao entendimento com potenciais aliados. Foi nessa linha de ação que o deputado Roberto Costa colocou a Juventude do MDB na vanguarda das ações do partido, fazendo com que as forças mais conservadoras, lideradas pela ex-governadora Roseana Sarney, se voltassem para as atividades partidárias. O trabalho de Roberto Costa de aproximar o MDB do Governo Flávio Dino foi lento e cuidadoso. Hoje, por seu intermédio, o MDB já conversa com o Governo, já apoia projetos governistas na Assembleia Legislativa e, aqui e ali, se posiciona politicamente alinhado ao grupo governista. Tanto que o partido se prepara para apoiar a candidatura do governador ao Senado. Assim, por mais que tenha chamado a atenção dos presentes, a presença da bancada do MDB na recepção ao ex-presidente Lula não foi uma surpresa, mas sim o resultado de um trabalho político feito com habilidade pelo vice-presidente do partido, e na qual embarcou também a ex-governadora Roseana Sarney, que saiu do isolamento reservado aos aposentados políticos.

São Luís, 20 de Agosto de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *