Flávio Dino joga com sabedoria ao dividir com Edivaldo Júnior decisões sobre sucessão em São Luís

 

Edivaldo Holanda Jr. e Flávio Dino: sintonia para comandar eleições em São luís

Não surpreendeu a declaração do governador Flávio Dino (PCdoB) em entrevista concedida quarta-feira (18) ao programa Ponto & Vírgula, da Rádio Difusora AM, afirmando que as decisões do grupo governista sobre candidatura à Prefeitura de São Luís passarão necessariamente pelo prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT), por ser ele o comandante do processo político na Capital. Com a sabedoria das grandes raposas, o governador sinalizou que vai participar do processo, no qual certamente terá influência forte e decisiva, mas deixou claro que, por ser o prefeito, estar bem avaliado e ter acumulado duas vitórias seguidas nas urnas ludovicense, Edivaldo Júnior detém a prerrogativa política de ser o coordenador do processo de escolha do candidato do seu partido ou de uma ampla aliança à sua sucessão. Com a manifestação, o governador reconhece o poder de fogo político e eleitoral do prefeito de São Luís, como também demonstra desenvoltura para administrar um tabuleiro no qual se movimentarão aliados importantes, como o deputado federal Rubens Júnior ou o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), o deputado federal Bira do Pindaré (PSB), os deputados estaduais Neto Evangelista (DEM) e Yglésio Moises (sem partido), o jornalista Jeisael Marx (Rede) e o ex-juiz federal Carlos Madeira (Solidariedade).

Flávio Dino sabe que a corrida à Prefeitura de São Luís não é uma competição qualquer. Tem plena consciência de que, além de ser a Capital, centro do poder político e referência para todos os demais municípios, São Luís é o maior e mais importante colégio eleitoral maranhense, abrigando mais de 15% do eleitorado maranhense, o que a torna decisiva nas disputas estaduais. Nesse contexto, Flávio Dino trabalha com o fato de o prefeito Edivaldo Júnior ser hoje detentor de um profundo conhecimento das tendências e nuanças políticas e eleitorais da Capital, cacife conseguido em sete anos no comando administrativo e político da cidade, realizando um Governo republicano, eficiente e sem máculas. O prefeito eleito e reeleito de São Luís tem, portanto, o domínio da cena política ludovicense.

É claro que Edivaldo Holanda Júnior não pretende assumir sozinho a responsabilidade pela sua sucessão. Ele trabalha com a perspectiva de dividir com o governador e os chefes partidários – a começar pelo senador e presidente estadual do PDT Weverton Rocha -, a desafiadora tarefa de comandar as forças governistas na corrida eleitoral, ainda que dando preferência ao candidato do PDT, se ele vier a ser lançado. Mas, a julgar pelo que está sendo alinhavado, o prefeito de São Luís sabe que seu caminho natural e mais sensato é sentar com o governador e com os chefes partidários do campo governistas e com eles traçar estratégias, escolher candidato e marchar para as urnas. E, tão importante como os demais itens, manter o padrão administrativo que vem lhe dando autoridade política cada dia mais forte.

Edivaldo Holanda Júnior tem plena consciência de que o desfecho da sua sucessão na Prefeitura de São Luís está diretamente relacionado com o seu futuro político. Se conseguir emplacar o sucessor, seja do PDT ou de outro partido da aliança governista, o futuro prefeito assumirá com o compromisso de apoiar o projeto político e eleitoral que vier a traçar disputar votos proporcionais ou majoritários nas eleições de 2022. Caso o desfecho lhe seja desfavorável, seus próximos passos serão bem mais difíceis. Daí ser natural, lógico e imperativo que o prefeito reúna o máximo de prestígio político e de força eleitoral para ter participação decisiva na sua própria sucessão. E o caminho mais seguro é somar forças com o governador Flávio Dino.

E pelo que demonstrou respondendo às provocações dos jornalistas Leandro Miranda, John Cutrim e Minard na entrevista na Difusora, o governador Flávio Dino fecha com esse projeto que, se bem-sucedido, turbinará o futuro do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

PCdoB quer Rubens Júnior e Duarte Júnior como aliados na disputa na Capital

Duarte Jr. e Rubens Jr. juntos em SL

O governador Flávio Dino vem dando seguidas demonstrações de que ainda não bateu martelo em relação à disputa entre o deputado federal Rubens Júnior e o deputado estadual Duarte Júnior pela vaga de candidato do PCdoB à Prefeitura de São Luís. Ele enxerga consistência e experiência política no primeiro e potencial eleitoral no segundo, indicando que a escolha deve ser uma construção cuidadosa, que não torne o escolhido um vencedor e o não escolhido um derrotado. Para ele, o PCdoB deve juntar os dois em torno do projeto comum de levar o partido ao comando administrativo e político da Capital. Até agora, a estratégia do governador, acertada com o presidente do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, vem se desenvolvendo com esse ânimo, de modo que os dois pré-candidatos vêm mantendo uma relação cordial, sem tensões aparentes, e demonstrando que poderão, sim, firmar um compromisso de apoio mútuo independentemente de quem venha a ser o candidato. É evidente que dentro do partido há uma clara preferência por Rubens Júnior, mas isso não significa menosprezo pelo pleito de Duarte Júnior. O governador e o comando do PCdoB não querem que o deputado Duarte Júnior deixe o partido para se candidatar por outra agremiação. Nas próximas semanas haverá esforço concentrado do comando do PCdoB para fazer a escolha sem o não escolhido arrume as malas e deixe migre para outro partido.

 

Agora sem a pressão dos bolsonaristas, Chico Carvalho volta a comandar o PSL à sua maneira

Chico Carvalho

O vereador Chico Carvalho vai fechar o ano como um vencedor no comando do PSL maranhense, tarefa que realiza com mão firme há mais de uma década. Político “passado na casca do alho”, como dizem os que o conhecem, Chico Carvalho sabia o que estava fazendo quando resistiu tenazmente às investidas dos bolsonaristas para catapultá-lo da presidência do partido. Próximo do presidente nacional e fundador do partido, o deputado federal pernambucano Luciano Bivar – que encarou com igual tenacidade os ataques violentos do presidente Jair Bolsonaro e sua turma para tomar-lhe o comando partidário -, Chico Carvalho, agora com ânimo renovado, voltou a ser senhor incontestável do PSL maranhense, devendo dar um chega-pra-lá nos bolsonaristas. Agora sem a ameaça incômoda da turma que obedece aos comandos do Palácio do Planalto, Chico Carvalho se prepara para lançar uma chapa completa – com candidatos a prefeito, vice e vereador em São Luís.

São Luís, 20 de Dezembro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *