Eliziane começou o ano como líder na corrida à Prefeitura de São Luís e vai encerrá-lo com futuro político incerto

 

eliziane 4
Eliziane Gama fecha o ano com seu futuro incerto

Uma das características mais importantes da atividade política é que ela é um jogo no qual não há tolerância nem condescendência com quem comete o pecado de não fazer leituras corretas do cenário e dá passos equivocados quando o caminho certo está bem desenhado à sua frente. A deputada federal Eliziane Gama (Rede Sustentabilidade), que vinha construindo uma trajetória fulgurante, dando passos largos e firmes numa carreira que começou modestamente com dois mandatos na Assembleia Legislativa, fez uma campanha brilhante para a Prefeitura de São Luís em 2012, conquistou vaga na Câmara Federal em 2014 com votação espetacular, iniciou o mandato exibindo talento parlamentar e senso de oportunidade aguçado, foi apontada pelas pesquisas como líder disparada como pré-candidata à Prefeitura da Capital, mas acabou tropeçando. De repente, sem qualquer explicação lógica, começou a descontrolar o eixo político, tomou decisões partidárias equivocadas, emagreceu politicamente e vai fechar 2015 amargando perdas provavelmente irrecuperáveis, quando tinha condições de, pelo menos, manter o cacife com que assumiu o mandato federal.

Nenhum observador de bom senso duvida do potencial político da deputada federal Eliziane Gama. Jornalista por formação, com boa experiência no rádio, ela entrou na política por vocação, fazendo seu aprendizado no PT, onde sempre foi vista como promessa, exatamente por ser desenvolta determinada e agressiva. Elegeu-se deputada estadual em 2006, se reelegendo em 2010. Ganhou notoriedade e muitos simpatizantes como candidata do PPS à Prefeitura de São Luís, quando surpreendeu com um discurso articulado e muita desenvoltura, chegando ao terceiro lugar no primeiro turno. A performance dela na campanha municipal e um bom trabalho na Assembleia Legislativa renderam-lhe  133 mil votos para a Câmara Federal. Ali, ocupou espaço na bancada do PPS, fazendo oposição cerrada ao governo da presidente Dilma Rousseff, atuou com destaque na CPI da Petrobras, fez discursos fortes abordando temas pertinentes, dando toda impressão de que avançaria numa trajetória linear.

Sem qualquer explicação lógica, Eliziane Gama rompeu com o PPS, causando forte decepção nos seus líderes, que a tinham como um sopro de renovação e apostavam alto no seu futuro dentro da agremiação. Provavelmente seduzida pelo que vêm dizendo as pesquisas, a parlamentar embarcou na Rede Sustentabilidade, partido criado pela ex-senadora Marina Silva, nome bem situado nas pesquisas que já medem o peso dos prováveis candidatos a presidente da República em 2018. A entrada de Eliziane na Rede não foi bem sucedida. Um dos motivos: ela continuou posicionada a favor do pedido do impeachment a presidente Dilma Rousseff, enquanto Marina e seu partido são contra, integrando o coro dos que acusam o processo de “golpe”.  Houve também divergências quanto a posicionamentos na Câmara Federal e algumas encrencas locais.

Os seguidos tropeços acirraram a tal ponto a posição de Eliziane na Rede Sustentabilidade, que Marina Silva desprogramou duas viagens ao Maranhão para participar de atos que prestigiariam a deputada. O “balão” mais recente aconteceu na semana passada, quando a parlamentar   inaugurou a sede da rede no Maranhão. Marina prometeu participar, sua presença foi exaustivamente anunciada, mas a ex-senadora desmarcou a viagem alegando problemas de agenda. O que seria o ato em que Eliziane daria a volta por cima, se transformou num fiasco, produzindo imediatamente uma série de especulações dando conta de que ela não permanecerá no partido de Marina Silva. Ela própria disse a interlocutores que dificilmente permanecerá na Rede. Nas últimas 72 horas, a deputada vem se movimentando numa frenética ciranda que poderá levá-la de volta ao PPS ou a ingressar no PSC, depois de ter sido convidada pelo novo chefe estadual do partido, deputado federal André Fufuca, que curiosamente permanece no PEN.

Resultado: Eliziane Gama fecha o ano legislativo como uma parlamentar com atuação destacada, amargando, por outro lado, uma série de equívocos políticos que a tornaram partidariamente instável. Com a agravante de que as pesquisas mais recentes mostram que ela está a um ponto de perder a liderança na corrida para Prefeitura de São Luís para o seu principal adversário, prefeito Edivaldo Jr. (PDT).  E a pergunta que se faz no meio político é a seguinte: qual o futuro político e partidário de Eliziane Gama? Difícil responder.

 

 

PONTOS & CONTRAPONTO

 

Pedetista manda recado duro aos Leões
????????????????????????????????????
Rocha manda recado aos Leões

“O PDT vai adotar em 2016 a lei da semeadura. Vamos plantar, e o tratamento que nos derem é o tratamento que daremos a quem nos tratar da maneira qualquer que seja”. Foi o aviso dado pelo presidente estadual do PDT, deputado federal licenciado Weverton Rocha, aos aliados do partido, em tom de desabafo e de alerta. O discurso, muito contundente no entendimento de alguns observadores, foi feito numa confraternização do PDT em Imperatriz, durante a qual Rocha reafirmou o lançamento da candidatura da atual deputada federal em exercício Rosângela Curado à Prefeitura da Princesa do Tocantins. Weverton Rocha avisou que qualquer parceiro do PDT que não apoiar a candidatura de Curado à Prefeitura não terá apoio do partido como  contrapartida. Ele enfatizou que o PDT não aceitará amigos que não agem como amigos, e esses amargarão a rebordosa, porque serão tratados na mesma medida que for o tratamento deles para com o partido. Avisou que o PDT não se rende, que é um partido orgânico e que “está pronto para ser aliado, mas nunca subserviente”.  Rocha confirmou a candidatura de Rosângela Curado a prefeita de Imperatriz e disse ter confiança de que seus aliados estejam na base de apoio. Muitos viram na manifestação de Weverton Rocha um recado – muito duro – ao Palácio dos Leões, que segundo esses observadores estaria fazendo jogo duplo na corrida sucessória em Imperatriz.

 

Delcídio do Amaral notificado por João Alberto

delcidio 1-horzO Conselho de Ética do Senado Federal notificou ontem o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) sobre da denúncia feita pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede) e ????  (PPS), baseada na acusação feita pelo Ministério Público Federal, de que ele estaria atrapalhando a investigação relacionada com o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. A notificação foi autorizada segunda-feira pelo presidente do Conselho, o senador maranhense João Alberto (PMDB), por meio de agentes da Polícia do Senado. A notificação, porém, não foi feita naquele dia: os agentes foram cumpri-la na prisão onde Delcídio se encontra em Brasília, mas ele não pode recebê-la porque seu advogado não estava presente. E em nova tentativa realizada ontem, os agentes da Polícia do Senado entregaram a notificação, acompanhada de todos os documentos que embasam a denúncia. Delcídio do Amaral não precisa se manifestar agora. Isso porque, segundo explicou o senador-presidente, o Senado está de recesso e só retornará no dia 1º de fevereiro de 2016, a partir de quando começa a contar o prazo de 10 dias para que o acusado se manifeste. “É quando o processo será instaurado, para que o Conselho se manifeste”, assinalou o senador João Alberto.

 

São Luís, 22 de Dezembro de 2015.

 

 

 

 

Um comentário sobre “Eliziane começou o ano como líder na corrida à Prefeitura de São Luís e vai encerrá-lo com futuro político incerto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *